Um começo infinito

Aquela intensidade ainda intensa, me faz eletrizar.

Aquele olhar ainda doce, desmancha-me mesclando o que há em mim com o que ainda não há.

E de todos os caminhos que já deslizei, nenhum  quero voltar se não for ao lado seu.

A posição dos meus braços mudou de forma

Eles estão sempre estendidos em sua direção.

O meu coração mudou de tamanho e hoje, abriga lares

Talvez mundos.

Fechei-me para construção

Está decretado!

Toda tristeza se esvaio e deu lugar a algo tão arrebatador quanto.

Arrebatou-me lindamente meus sorrisos com o seus.

Arrebatou-me meu compasso e sanidade.

O que era, não quero mais.

A gratidão tomou conta de mim. A felicidade mundial está comigo!

E o amor? Ah! Esse mandou lembranças e disse que nunca mais sairá daqui de dentro.

Eu já imaginava que tamanha doçura poderia me mudar em algo

Mas não dá forma como me transformei.

Hoje sou uma matemática completa

Uma soma que nada subtrai

Uma multiplicação dividida em dois!

 

 

 

(Im)paciência

Corre dia, correm horas

Ansiedade tome rumo, por aqui não és bem vinda

Cade o futuro? Cade as promessas?

Só me sobrou o vazio. Onde foi parar o meu recheio?

O tesão mandou lembranças

Já está na hora das lamentações?

Ou ainda é tempo de esperar?

A infância, o papelão e nós.

Os pés descalços.

O corpo embarreado.

Os cabelos embaraçados

e o pedaço de papelão ao lado.

Descia aquele morro a toda velocidade, como um foguete sobe aos céus em dia de ano novo.

Enquanto descia, sorria feito a verdadeira felicidade.

Conheceu, viveu e abusou incontáveis vezes daquelas frações de instantes de felicidade infinita.

Deliciosas gargalhadas coletivas entre uma queda e outra.

Companheirismos intocáveis e inabaláveis sustentavam quaisquer que fossem as dores que puderam aparecer.

E o coração se enchia da mais pura paz

da mais doce alegria

do amor mais real e fiel que pudera haver em qualquer força vital.

A tarde findava e o cansaço tomava conta daqueles pequenos corpos dotados de luz.

E quando o sorriso materno se aproximava, era a hora de dizer adeus,

boa noite meus amigos, até a nossa próxima viagem!

 

Nota

Então é Natal

Em época de reflexão, talvez nos falte balança pra analisar os contrapontos do ano.

Geralmente, o ano passa a ser uma vida toda e que na virada de um dia recomeça mais uma vez.

De altos e baixos se passaram esses trezentos e alguns dias. Tanto os altos como os baixos foram intensamente vividos. Fui intensamente feliz, amei intensa e verdadeiramente a vida e pessoas, chorei desenfreadamente de rir e desesperadamente de dor. Dancei loucamente todos os rocks de minha vida, bebi mil litros de fluidos vitais e embriaguei-me milhares de vezes mais. Vivi cada dia que terminou, até mesmo aqueles dias sem cores. Sorri num por de Sol e dormi com uma bela feição no rosto, porém não foram ausentes as noites de travesseiros molhados por aquelas lagrimas que ousaram aparecer.

Cresci, amadureci e aprendi. Confesso que tenho medo do que está por vir. Receio não estar pronta. Mas estou disposta a descobrir.

De alguns anos pra cá, o natal não tem sido uma data muito amigável. Depressiva seria a palavra que melhor se encaixaria. Muitas coisas ainda estou para entender. Talvez eu faça parte da massa julgadora, mas ao mesmo tempo não faço questão de carnavais fora de época. Essa obrigatoriedade  de ser feliz em um unico dia me consome. Se for para ser feliz, que seja real, e não apenas em volta do peru. Confesso mais uma vez que festas juninas me alegram muito mais e que quando os fogos da meia noite cessam, um alivio domina meu peito, e quando bate o relógio apontando a meia noite do dia 25 se tornando 26, aí sim,respiro aliviada. Mais um natal chegou ao fim.

Em 2009 um natal conturbado. 2010 abandonado. 2011 solitário num rock sem fim. E por ai vai a rota do papai noel.

Quer saber o que mais me aflige e me atormenta nessa data? É a falta da infância, da magia, da minha magia desvendada. Como um mister M, revelei os segredos de um natal feliz. E ele se foi.

O fato é, hoje é uma data muito bonita, e que de alguma forma, esse sentimento que ronda as casas de todo o mundo contribua com algum tipo de melhorias para algum fim seja mini ou maximizadamente!

Enfim, feliz Natal!

Renascença

Se você quiser saber do que mais, eu te digo..

… eu gosto é do gasto, do estrago.

Ao mesmo tempo que gargalho, choro e nao entendo.

Quer dizer, eu entendo, só eu.

Se vivo, choro sua pressão

Se morro, choro de solidão de ser.

Choro de saudade de mim, quando eu mesma abandono-me.

Viver parece simples, mas te garanto que de simples, nem a palavra.

Morrer é fácil. Apaga-te ao mundo, porém a dor que lhe causa é infinitamente maior a ti do que a qualquer um.

Sinta todas as dores que lhes foram oferecidas, mas viva.

Depois de tudo isso, um sorriso lhe trará a conseqüência

E de toda dor,

A paz surgirá..

ao conseguir admirar-se ao espelho.

Atente-se

Ser grato.

Mostrar-se grato…

Valorize, ame e deixe ser amado.

Demonstre seus sentimentos bons. Cultive-os!

A flor perde sua beleza por falta de cuidados.

Regue-a!

Não seja vitima de sua própria história. Sorria!

Sorria principalmente quando doer, quando ferido, nos momentos de ira.

O peso da lágrima pode afundar-te e apaga as cores da vida.

Seja gentil!

A rigidez e grosseria escurecem e encurtam seus circulos.

Sinta a brisa da manhã, o calor do raio de sol, a carícia do vento, o frescor da chuva, a melodia dos passaros.

Reflita!

Há somente uma pessoa responsável pela sua felicidade e pelas suas dores. Você!

Assuma as rédeas do seu destino e decida por onde, como e com quem quer viajar.

…e viva!

Hoje secaram minha fonte de paz.

Era cheia de vida iluminada e iluminando com risos e sorrisos.

Inundada por um amor universal por tudo e por todos.

E dava a vida ao rei, ao príncipe, à criança, ao senhor e até mesmo ao cão.

Tinha a força de exércitos em fúria partindo para a guerra.

Por sua doçura, generosidade, por sua luz e dignidade, arrancaram-lhe a alma

Destroçaram seus sentidos,

Quebralham-lhe os ossos

e cuspiram em seu sorriso.

Injusto mundo!

Ingrato e insensível!

Não há razão que justifique sua maldade

Explicações são inexistentes. Como explicas a brutalidade com que mexestes em sua mente de tal forma  contrariando com a realidade?

Comeu seu cérebro, regurgitou-se de sua sanidade.Evacuou sua vida limpa.

Com que prazeres deixou isso acontecer?

Ela só queria mudar o mundo..

Mas o mundo mudou com ela

Entradas Mais Antigas Anteriores

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.